quinta-feira, 1 de março de 2012

Painéis coletivos

Cadavre-Exquis, ou o cadáver esquisito.
















Os painéis coletivos são propostas recorrentes nas atividades do Garatuja. Ele possibilita a integração entre crianças de diferentes idades, com temas e estilos gráficos diversos, tornando o desenho e a pintura, que por natureza é uma atividade individual, em algo coletivo e integrador. O inicio é sempre um papel em branco e o imaginário infantil. No caso do painel acima, logo nos primeiros traços, surgiram duas estruturas bem definidas: céu e terra. As crianças perceberam essa divisão e passaram a ser conduzidas por ela, criando imagens que se integravam nessa lógica. A divisão em “quadros individuais”, que no conjunto formou o painel, possibilitou maior facilidade de execução, mas não impediu que as crianças percebessem e interagissem com o desenho de outros, repetindo certos padrões estéticos que deram a unidade visual ao trabalho.












No painel abaixo foi utilizada a técnica do Cadavre-Exquis, adotada por artistas do movimento surrealista de 1925 para provocar a livre associação de imagem fora do contexto habitual. Originalmente esse método era empregado na criação de texto, onde diferentes escritores interferiam no texto do outro, com palavras inusitadas e alterações das estruturas das frases, subvertendo o discurso literário convencional. No nosso caso, uma primeira criança fez seu desenho escondido das demais, mas deixando “pistas” para que a próxima pudesse continuar sem saber o que a anterior havia feito. E assim sucessivamente. Trata-se de um jogo gráfico, que no final revela surpresas ao descobrir inesperadas relações entre as figuras desenhadas. Mais tarde esses desenhos foram calcados num suporte maior e pintados coletivamente.






















O texto acima fez parte da 6 Mostra de Arte Infantil realizada pelo Garatuja em 2011, dentro do projeto Garatujas e Cambalhotas - Registro e Documentação da Arte na Infância. Abaixo dois painéis coletivos realizados em 1992, portanto há quase 20 anos atrás.


2 comentários:

  1. Oi, moçada!
    Parabéns pelo trabalho!
    Podem me enviar o texto da peça " A viajem de um barquinho" por email?
    Eu perdi esse texto e não consigo encontrá-lo, só a história em versos.Preciso muito e urgente.
    Agradeço desde já.
    batista.aline@hotmail.com

    ResponderExcluir
  2. oi gente gostei muito ficou legal!

    ResponderExcluir